top of page

Índice da Liberdade de Imprensa: Guiné-Bissau recua 14 lugares no ranking

A liberdade de imprensa em todo o mundo está a ser ameaçada pelas mesmas pessoas que deveriam ser o seu guardião, as autoridades políticas. A conclusão é do Índice Mundial de Liberdade de Imprensa 2024: Jornalismo sob pressão política divulgado nesta sexta-feira, 3 de maio, Dia Internacional da Liberdade de Imprensa, pela organização não governamental Repórteres Sem Fronteiras (RSF), que regista uma queda média global de 7,6 pontos.



A Guiné-Bissau passou do 78.º lugar para o 92.º, menos 14 lugares, Moçambique, desceu da posição 102 para 105, menos três lugares, e ambos continuam no grupo de países em situação difícil.


Angola que deixou o grupo de Estados em situação difícil para problemática e subiu da 125.ª posição em 2023 para 104.ª em 2024, num total de 180 analisados.


Kommentare


bottom of page